Entenda tudo sobre Akita Inu

Exatamente como o sumô e as gueixas, a raça Akita Inu é tida como uma parcela pertinente do legado nacional do Japão. Ele, consequentemente, é muito famoso no Japão, sendo, também, tratado como um singular símbolo de prosperidade. A designação da espécie Akita Inu possui duas significações: “Inu” é derivada do termo “cão”, no idioma nipônico; e “Akita” é oriundo de uma região localizada em Honshu.Além das primeiras espécies da raça Akita Inu terem surgido só a começar do século XV, na verdade, certos estudiosos certificam que o aparecimento da espécie ocorreu por cerca de quatro mil anos atrás. O Akita Inu, inicialmente, foi adestrado durante diversos anos como um cão de ataque e defesa, uma vez que esta raça era definida como de estatura grande.Os militantes norte-americanos, durante a Segunda Guerra, adquiriram filhotes dessa espécie, após um homem reproduzir uma cadela da raça “Akita Inu” com um cão da raça “Pastor Alemão”. Depois deste fato, deu início à raça “Akita Americano”, a qual se tornou-se famosa de forma rápida, portanto sendo vendida em vários locais do planeta. Hoje em dia, ambas as raças coexistem.

Características Físicas do Akita Inu

Os lobos e as raças “Akitas” têm várias semelhanças. Os cães machos da raça Akita Inu medem em média 65 até 70 centímetros em estatura da cernelha e as cadelas entre 57 a 63 cm. Exatamente como o porte, a pesagem da raça também difere consoante o gênero da espécie, eles podem pesar de 33 a 50 kg. Sua pelagem mostra-se de forma dupla, sendo que a pelagem do alto é retilínea e dura e o subpelo denso e macio.O crânio do cão Akita é grande e amassado, a testa larga e o chanfro é bem definida. O focinho do cachorro Akita Inu vai se afunilando gradativamente e o seu comprimento é bastante moderado. Os olhos amendoados, característicos dos spitz, são um pouco pequenos, inseridos de maneira oblíqua e afastados entre si. Levemente direcionadas para a frente e bem eretas, as orelhas são grossas, com um formato triangular e com as suas extremidades bem circulares.O seu peitoral é largo e bastante profundo, tendo um pescoço bastante vigoroso, também sem nenhuma papada. As costelas tem o costume de ser moderadamente arqueadas e o seu dorso é firme e vigoroso. A sua parte traseira é bastante ampliada. Sua cauda de inserção se enrola sobre o dorso, fora de ser muito forte, enorme e espessa. Além disso, sua pata é bem forte e arredondada.

Pelagem do Akita Inu

Trata-se de um cachorro de pelo endurecido e subpelo oleoso, excelente pra caça na água, pois seu pelo é praticamente impermeável, o que o mantém muito bem aquecido, mesmo em temperaturas muito geladas. A pelagem de cobertura é lisa, dura e reta, ao mesmo tempo que o subpelo é mais sedoso, denso e oleoso. A cernelha e a garupa são revestidas com um pelo relativamente mais comprido e na cauda o pelo é mais alongado do que o restante do corpo.
O cachorro Akita Inu se mostra nas cores vermelho-fulvo, sésamo (vermelho com pontas pretas), tigrado e branco.
Todas as cores devem conter ainda o Urajiro, que é a pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, bochechas, abaixo do queixo, pescoço e ventre, no lado inferior da cauda e parte interna dos membros.
Os Akitas Inus mudam seu subpelo duas vezes anuais. O processo de substituição da pelagem é bastante intenso, podendo ser finalizada depois de mais de 30 dias. Os cachorros Akita se lambem muito, como gatos e em razão disso se mantêm limpos por um longo prazo. Os cães Akita Inu não possuem necessidade de tomar banho com uma certa frequência, pois isso pode gerar uma perda significativa de oleosidade em sua pelagem, uma vez que eles fazem a sua higiene habitualmente. Porém, geralmente deve ser efetivada a escovação em sua pelagem.

Temperamento do Akita Inu

A personalidade do cão Akita pode ser determinada como dócil e receptiva, calma, e este se caracteriza por sua lealdade. É considerado um cachorro territorial, aventureiro, valente, costuma guardar tanto a família quanto a residência.
É inteligente e disciplinado, porém trata-se de uma espécie mais indicada para donos mais experientes, que saibam ganhar a confiabilidade do cachorro e ensinar o animal com firmeza e tranquilidade.Apesar de não ser violento com pessoas estranhas ao seu convívio, o seu comportamento se modifica na ocasião em que surge alguém que não está presente na sua vida. Alguns cães da espécie Akita Inu podem não se socializar com outros cães, principalmente os de mesmo sexo, devido a sua personalidade forte e frequentemente dominadora. A fim de que o cão Akita Inu possua uma melhor convivência com outros cães, o ideal é que sua convivência comece o quanto antes. O aconselhável para que o cão Akita Inu não fique hostil e demasiadamente possessivo é que ele seja adestrado desde pequeno, assim o Akita Inu poderá se tornar mais sociável.

Vantagens de ter um Akita Inu

Caso conviva, principalmente, desde pequeno, o Akita Inu pode ser uma excelente companhia para as crianças. Mesmo que possam estranhar no início de uma convivência, os cachorros Akita Inu conseguem conviver de forma pacífica com outras pessoas e também com crianças muito agitadas. Apesar de serem muito vocativos, os exemplares da espécie Akita não são muito de latir.Os Akitas são muito protetores, seja de sua propriedade ou dos indivíduos a sua volta, o que faz deles maravilhosos cães protetores, além disso, eles se sobressaem por sua esperteza e sensibilidade. O Akita Inu é um dos 60 cachorros mais astutos do mundo, pois eles têm uma excelente capacidade de serem treinados e instruídos, especialmente se este treinamento inicia-se desde pequenos.

Problemas do Akita Inu

Em função do porte do Akita, problemas como displasia nos quadris ou nos cotovelos podem afetar o cão, que detém uma expectativa de vida que gira em torno de 12 anos. Determinados problemas oftalmológicos também costumam ser um tanto habituais nos cães da raça, como a atrofia da retina (que pode chegar a causar cegueira) e o entrópio, problema que faz com que as pálpebras do animal se virem para o interior e firam sua córnea.A epilepsia inclusive é uma complicação que é capaz de aparecer ao longo da vida do cão desta espécie distinta e, em decorrência dos muitos problemas que são capazes de se expressar na saúde do cão Akita Inu, é relevante que os donos de um exemplar da raça como animal de estimação os levem para consultas periódicas com veterinários com o intuito de garantir o bem-estar do animal e precaver ou diagnosticar prematuramente uma série de doenças.Para que os cachorros Akita possam conviver de maneira harmoniosa com outros espécimes, é fundamental que eles tenham tido ligação com outros cães desde filhotes.

Como cuidar do Akita Inu

Os cães Akita Inu podem ajustar-se à vida em apartamento, porém necessitam de atividades diárias para preservarem-se estáveis e saudáveis. O Akita Inu necessita caminhar todos os dias, principalmente se habitar em apartamentos ou pequenas residências onde não existe bastante espaço para ele. Contudo, se você vive em grandes casas, com um espaço bem amplo, recomenda-se que deixe seu cachorrinho livre para que ele consiga exercitar-se naturalmente.No que se refere a cuidados com a saúde, é importante recordar que a pelagem dos Akitas deve ser escovada diariamente ou, pelo menos, semanalmente, evitando os nós nos pelos e o acúmulo de impurezas que tem chance de ocasionar problemas de pele como a dermatite.Esses cães têm um fome voraz, por isso uma alimentação balanceada é fundamental a fim de que possam crescer saudáveis.A boa higiene é essencial para a saúde completa do seu Akita. Para que seu Akita Inu não se contamine e adquira nenhum tipo de problema por bactérias, o local onde ele vai se estabelecer deve estar bem limpo todo o dia. A boa limpeza inclusive evita complicações de saúde vindouros. No caso do cachorro Akita Inu, em especial, é fundamental nunca deixar o lugar onde ele vive molhado após a limpeza, a fim de evitar que ele deite e fique úmido, pois isso pode ocasionar o crescimento de fungos em sua pele ou inclusive alergias.

Filhotes do Akita Inu

O Akita quando filhote é bonitinho como um bicho de pelúcia. Ainda assim, por seu temperamento dominante e independente, é recomendável começar desde muito cedo o treinamento de obediência e deixar claros os seus limites, assinalando que o chefe é você.No geral, os cão Akita são uma das espécies mais fáceis de se limpar. Apesar de ser uma espécie bastante auto-suficiente, decidem estar próximo dos donos do que isolados no fundo do quintal. Os cães Akita Inu são propensos em se entediar e destruir os seus objetos por toda a casa, então uma perfeita forma de evitar qualquer constrangimento é passear com eles constantemente.Ao escolher um filhote, o ideal é sempre olhar os pais da cria e ver o comportamento deles pois esta é uma peculiaridade genética. Procurar um filhote de um canil confiável é maneira mais correta e mais adequada de se possuir um pet saudável e sem traumas. Veja ainda o comportamento dos filhotes na ninhada. O comportamento do cachorro Akita difere de espécie para espécie. Alguns serão mais ativos, outros serão mais obedientes, estes necessitarão de muito pulso firme pra serem adestrados.

Curiosidades sobre o Akita Inu

Na atualidade, convivem duas espécies de Akita, o Akita Inu e o Akita Americano|Duas raças de Akita
O Akita Inu foi gerado nas regiões noro-orientais do Japão para a prática da caça grossa, quer dizer, o cachorro era usado para caçar cervos e ursos.O cão Hachiko, conhecido por ter aguardado vários anos por seu proprietário em uma estação de trem, ganhou um filme intitulado “Sempre Ao Seu Lado”, estrelado pelo galã “Richard Gere”. Mesmo após o falecimento de seu dono, Hachiko voltou para a estação por mais de Uma década, sempre aguardando que seu dono voltasse. Isso aconteceu até o último dia de sua vida.

Boiadeiro de Berna – Boiadeiros Bernês

O Cão Boiadeiro Bernês é uma raça muito antiga do território suiço, que no decorrer dos séculos e com os vários cruzamentos realizados, acabou se transformando o cachorro o qual conhecemos nos dias atuais. Com o intuito de manter os rebanhos e os gados seguros, os “Bernois Bouvier” foram muito requisitados pelos cultivadores da Suiça. Os Cães Boiadeiros de Berna foram muito bem usados para tracionar carroças cheias de leite, já que a excelente notoriedade do queijo da Suiça tornava o leite bastante negociado em meio aos agricultores.
O Boiadeiro Bernese também é incluído aos “Sennenhund”, quer dizer, aqueles cachorros montanheses, mas apenas ele tem uma pelagem alongada e macia. A origem da espécie é simplesmente especulativa. Vários acreditam que a sua origem se deu a partir do acasalamento entre as espécies Mastiffs e os cachorros de guarda, durante a Conquista Romana na Suíça.
O cruzamento gerou um cachorro vigoroso apto a resistir ao clima dos Alpes e servir como cachorro de tração, guardador de rebanho, e cachorro pastor. Embora a utilidade destes cachorros, poucas tentativas foram realizadas pra eternizar a raça. No fim dos anos de 1800, a raça estava em ameaça de extinção.
Um estudioso de nome Albert Heim começou a analisar os cães de origem suíça, chegando até o Boiadeiro de Berna. Todavia, apenas nos baixos Alpes Suiços que se encontraram estes cachorros. Logo após os empenhos de Albert Heim, começou, desta forma, a disseminá-los em toda a Europa. A melhor espécie achada possui o título de “Durrbachler”, situada no território de Durrbach. Com o progresso da raça, o nome foi mudado pra Boiadeiro Bernese. O primeiro deles entrou na América em 1926; o reconhecimento formal do AKC ocorreu em 1937.

Características físicas do Boiadeiro Bernês
O Boiadeiro Bernese possui três colorações, estatura grande e um comportamento bastante afável. Devido à sua genealogia, ele tem uma grande habilidade de defesa de gados e trabalhos no pastoreio, sendo, além disso, sagaz, vigoroso e bastante ágil.
O Cachorro Boiadeiro Bernês é grande, forte e bem proporcional. Seus membros são pequenos e ele possui orelhas médias, triangulares e que pendem ao longo dos lados da cabeça. Sua cauda é densa e pende no torso. Sua cor é bem dividida: ele detém uma pelagem fina, bem macia, alongada e escurecida, e, ainda, com um tom avermelhado e determinadas marcas amarronzadas ao redor das bochechas, da região dos olhos, patas e tórax. Possui também marcas claras em sua cabeça, em torno do pescoço, peito, patas e ponta do rabo.

Ele também é bem companheiro. Se o seu dono está na residência, ele vai fazer o possível para se encontrar perto dele, apresentando todo o seu coleguismo. Sua grande alegria é somente estar com as pessoas queridas. Dadas essas particularidades, o Boiadeiro Bernese não é um cachorro adequado para viver em um canil e com certeza será bastante descontente sem a constante companhia do ser humano.

Pelagem do Boiadeiro Bernês
Sua pelagem é encantadora: uma pelagem dupla, espessa, com a parte externa longa e uma camada inferior bem peluda. Caracteristicamente de três cores, a grande parte do corpo do cachorro dessa espécie é coberta por pelos muito pretos, com cor de ferrugem e branco brilhante. Detém uma marca esbranquiçada na forma de uma cruz avessa, uma mancha branca em torno de seus olhos e no início da cauda.
Com uma cor preta bem intensa, que predomina pela totalidade de sua constituição física, tem determinadas linhas marrons em seu rosto, acima de seu olho, em suas patas e no dorso. Contanto que não ultrapasse o começo de suas pernas, ele pode possuir, ainda, um pelo branco nos pés.
O pelo desta espécie é afinado e extenso e para que seja constantemente saudável, deve ser escovado com periodicidade. Todo ano o Boiadeiro de Berna perde pelo de maneira moderada durante as estações da primavera e outono. O Boiadeiro Bernês possui uma pelagem que cai muito, por causa disso a precisão de constantemente escovar regularmente a pelagem dele, a fim de que você possa moderar o excesso de pelos caídos por toda sua residência. O banho periódico, a cada três meses ou mais, manterá sua higiene.
Temperamento do Boiadeiro Bernês
O Boiadeiro De Berna é um cão afetuoso, sagaz e vigilante. Agregue ainda tolerância, simpatia e ternura. Ele adora estar com a família e fica feliz quando é incluído nas atividades familiares. Todavia não se esqueça de instruir a ele como se portar no lar e com as demais pessoas, pois um treino é crucial pra esta espécie. Ele pode crescer muito, mas sempre continuará sendo um “molecão”. Essa raça é lenta para amadurecer.
O Cachorro Boiadeiro Bernês guarda sua família, no entanto ele em geral não seja agressivo. Habitue-o desde sempre a exercer interação com pessoas desconhecidas e, preferencialmente, em locais com diversas pessoas ao mesmo tempo, já que ele é bastante arredio no momento em que não há algo novo para ele.
Pra você conseguir ter um cão muito sereno, acostume-o desde novo a tudo o que possa ser anormal para ele, para que ele não desenvolva medo, fique tímido ou muito ansioso. Apresente a ele ruído, as demais pessoas e ocorrências além de seu cotidiano para ensiná-lo a como se proceder.
O comportamento do Pet Boiadeiro Bernês é afetado por uma sucessão de fatores, incluindo hereditariedade, treinamento e socialização. Depois de habituados, eles irão querer fazer amizades com outras pessoas, fora de serem geralmente brincalhões e possuírem bastante curiosidade.
Vantagens de ter um Boiadeiro Bernês
Fora a ternura, ele pode ser um bom sentinela, além de alertá-lo no momento em que sentir o mínimo vestígio de perigo. Pode ficar manso: este cachorro é bastante adequado para se possuir em casa, ele é ótimo com crianças, jovens e adultos.

Todas as funções que ele efetua vêm acompanhadas de suas aptidões. As crianças amam brincar com o Cão Boiadeiro Bernês, tanto devido ao seu tamanho quanto por sua condição lúdica.

O Boiadeiro Bernês tem um forte querer, mais do que isso, uma essencialidade inabalável para o serviço e, consequentemente, está sempre buscando um desafio ou uma função a fazer. Adapta-se muito bem em muitas tarefas divergentes e é um cachorro que deseja e está determinado a agradar.

Problemas comuns ao Boiadeiro Bernês

Largue -o só e você irá possuir um cachorro triste, ansioso e insatisfeito. Acontece o mesmo quando não é destinada uma tarefa distintiva para que faça. Só um jadinzinho não não é suficiente. O Pet Boiadeiro Bernês adulto necessita de caminhadas longas diárias, de ao menos uma hora, pra ficar mental e fisicamente equilibrado.

Apesar de sua beleza e ao excelente temperamento – ou possivelmente por causa dessas peculiaridades – hoje em dia, os Cachorros Boiadeiros Berneses estão lutando para sobreviver. A espécie possui um pequeno conjunto de genes que acarretou em vários problemas de saúde pertinentes à endogamia (consanguinidade). À proporção que mais indivíduos descobrem acerca da espécie, vários cachorros com com complicações na saúde estão sendo gerados com limitado ou qualquer critério. Com isso, o Cachorro Boiadeiro Bernese está sofrendo demais. Para se adquirir um Boiadeiro, consulte um apropriado local onde adquiri-lo, sua procedência deve ser bem examinada para que não apresente algum tipo de complicação com seu cão.

Como Cuidar de um Boiadeiro Bernês
O Pet Boiadeiro De Berna não deve morar em apartamento ou condomínio. Um lar com um pátio enorme e protegido é o ideal lar para cães desta raça. Ele ainda possui energia de sobra. Todos os dias ele deve consumir muita energia pra poder se preservar estabilizado e com bastante felicidade.
Escove os dentes do seu Cachorro Boiadeiro Bernese de duas a três vezes semanais para remover o ajuntamento de tártaro e as bactérias da boca dele. A escovação diária é inclusive mais acertada se você quiser evitar a enfermidade das gengivas e o mau hálito.
Apare as unhas mensalmente se o seu cachorro não as gastar naturalmente. As unhas sem dúvida estão enormes, caso você possa ouvi-las no momento em que ele se encontra andando. Acontecerá uma pequena hemorragia se você cortar no lugar incorreto, então possuirá graves problemas.
Os ouvidos do Pet Boiadeiro De Berna devem ser checados toda semana por vermelhidão ou cheiro ruim, o que é capaz de apontar infecção. Limpe as orelhas com algodão úmido com produto sugerido pelo médico-veterinário a fim de prevenir inflamações. Não coloque coisa alguma no canal auditivo, asseie unicamente a parte de fora da orelha.
Sempre examine a pele do seu animal, analisando qualquer tipo de anomalia, como: infecção, vermelhidão ou sensibilidade, não pense duas vezes em liga para um médico-veterinário.
Fillhote do Boiadeiro Bernês
O filhote do Cachorro Boiadeiro De Berna exige supervisão e relação constante com os donos a fim de que possa realmente conviver no local familiar. Comece, o mais rápido possível, em expor para ele quais os limites que ele possui. Ao contrário de várias outras espécies de animais, devido a um amadurecimento demorado, o método de treino do Boiadeiro leva um período maior.
Comece a familiarizar seu Pet Boiadeiro Bernês a ser escovado e examinado desde filhote. Sempre apure as patas e a boca do Do seu pet . Para educá-lo a se comportar no momento em que for preciso ir a qualquer atendimento veterinário, comece a conceder-lhe algum padrão de gratificação e nunca se esqueça do elogio na ocasião em que ele reagir adequadamente. Higienize e cuide do seu animal doméstico desde cedo, posto que eles possuem o hábito de efetuar buracos em locais com bastante terra, portanto ficando imundo mais que o normal.
Anterior aos dois anos de vida, jamais permita seu Boiadeiro fazer demasiado esforço físico, como: tracionar muito peso, pular de locais muito altos em superfícies muito duras, dado que as suas juntas ainda não estão convenientemente desenvolvidas. O divertimento comum, na grama, está liberada.
Curiosidades a respeito do Boiadeiro Bernês
Ele é inteiramente adequável em temperaturas muito frias. Mas, com a pelagem escurecida e da estatura grande, ele é predisposto a sentir muito calor. Em dias muito quentes, não deixe que ele faça muito esforço físico.
Você precisará possuir um cuidado exclusivo se estiver no processo de criação de um cão da raça Boiadeiro Bernese. Ele cresce de uma maneira mais rápida entre os 4 e 7 meses, nesse ciclo ele está predisposto a lesões e problemas nos ossos. A alimentação deve ser bem caprichada, com ótima qualidade, rica em nutrientes, mas em uma quantidade certa, a fim de que ele se desenvolva em uma forma moderada.

O Pet Basset Hound

o pet basset hound

O Pet Basset Hound

A raça de cães Basset Hound foi desenvolvida pra perseguir animais menores, tal como coelhos e lebres, e também é empregada para esse objetivo em diversos países. Apesar de serem usados para objetivos de perseguições, os Bassets são estupendos companheiros e, inclusive, adoram as crianças.

Informações sobre a Raça

O Basset detém uma imensa capacidade intelectiva e uma aparência imponente. O Basset Hound é um incrível companheiro da família, bem como um ótimo cachorro caçador. Além do mais o Basset Hound é um símbolo das propagandas em razão da sua aparência formosa. A denominação Basset é originado da palavra da França “basse”, que significa pequeno. E o Basset Hound é um cão bastante baixo. Os Bassets têm seu peso entre 25 a 35 kg, possuindo uma textura óssea bastante pesada e um porte físico bem musculoso. São vistos como cães compridos com patas curtas, mas não possuem mais de trinta e oito centímetros. Eles possuem um nanismo denominado “Acondroplasia”, que torna suas patas bem pequenas. Apesar de seu porte físico, este cão pensa ser um cão de colo e fará o que pode para encaixar-se em seu. Os Bassets Hounds são farejadores de odores, o que significa que os Bassets Hounds foram desenvolvidos pra caçar acompanhando o cheiro das suas presas. Seu faro espetacular está na segunda posição entre as espécies de cachorros, ficando atrás simplesmente do espécime Bloodhound. Esses Basset Hounds têm pelos alisados, curtos e de densidade firme que são relativamente fáceis de tratar. A grande parte destes cachorros resulta no tradicional parâmetro tricolor: preto, pardo e esbranquiçado, porém ainda pode ser o que se entende como avermelhado aberto e esbranquiçado (marcas avermelhadas com uma pelagem branca), vermelho fechado e esbranquiçado (avermelhado sólido com patas brancas e rabo), ou amarelado e esbranquiçado. Você pode enxergar um Basset Hound acinzentado porém presume-se que essa cor em cães da raça Basset Hound pode estar associada a distúrbios de genes. O Basset detém uma pele amarrotada em sua fisionomia, em especial sempre que encontra-se farejando qualquer coisa, além disto têm uma cabeça arredondada e um focinho bastante pequeno. Vários Bassets têm um semblante entristecido, entretanto isso é causado em razão desta pele frouxa na sua cara, mas, ao mesmo tempo, isso só aumenta o encanto desses Bassets. Os Bassets foram constituidos para fins de caças, a totalidade de suas particularidades possuem um porquê. Suas orelhas compridas e baixas arrastam-se pelo chão e sorvem cheiros, à medida que a pele frouxa em torno de seu crânio forma rugas que capturam ainda mais o odor do que está sendo perseguido. O Basset é muito simples de ser acompanhado a pé, uma vez que suas patas bem pequenas dificultam a sua locomoção, comparando-se com outros cães de patas mais alongadas. Seu rabo é longo e tem uma ponta esbranquiçada no final, facilitando a visualização do espécime pelos caçadores no momento em que estão seguindo em grama alta. Sendo amestrado, o Basset se torna bastante manso e extremamente preguiçoso. Ainda por cima é bastante alegre, muito fiel a seu dono e também muito companheiro. Em sua origem, os Basset Hounds foram criados como matilhas, por causa disso eles adoram estar com seus familiares e ainda ficam amigavelmente com outros animais de estimação. Basset Hounds detestam permanecer sozinhos por bastante tempo e são capazes de desenvolver um comportamento desagradável e começar a ganir se forem menosprezados por muito tempo. Seu latido peculiar é elevado e é capaz de ser percebido a longas distâncias. Ele ganha peso muito rápido e chega, inclusive, a ficar obeso, devido ao seu comportamento ocioso dentro de casa. O excesso de gordura é capaz de causar problemas nas costas e nas patas de cachorros dessa espécie. Dessa forma, a exercitação física constante é um dever para estes cães. Porém, ainda que ociosos, eles adoram sair para andar e principalmente andar, pois têm uma maravilhosa resistência. O Basset ama farejar, consequentemente tenha tranquilidade quando for sair para passear com seu cachorro. Se ele percebe um cheiro vai desejar seguir este cheiro e vai poder se ausentar se não estiver na coleira. Quando captam algum odor que chame a sua atenção, eles andam pelas ruas e não ficam atentos a sua volta, podendo ser machucados de qualquer maneira. A tolerância precisa ser uma qualidade no momento em que se trata de instruir um Basset Hound. Eles são profundamente teimosos, birrentos e custosos de serem instruídos, portanto escolha deixar o adestramento bastante prazeroso para o seu cão. Se você conseguir comprá-los com qualquer guloseima, poderia ser pois variados não vão obedecer por própria vontade. O treinamento de um Basset Hound dentro de casa ainda é um desafio, mas com tolerância e insistência, você pode passar este desafio. Apenas certifique-se de usar procedimentos de ensinamento amáveis e objetivos. O Basset Hound é um cachorro emotivamente frágil e vai se desligar do adestramento se for tratado duramente. Esses cachorros têm latidos ímpares. Eles mais uivam que ladrem. Ao solicitar comida ou alguma atenção, o seu latido se afigura a uma reclamação. Pela perseverança eles podem conquistar o que desejar, até mesmo petiscos e paparicos. Basset Hounds adestrados são cachorros com boa índole, irreverentes e, usualmente, alegres. Eles são muito elegantes com a criançada e outros animais domésticos. Suas maiores manias são a tendência de babar e ganir no momento em que estão desacompanhados. Pelo modo como foram gerados, o Basset brinca como se estivesse disparando atrás de determinada presa, entretanto, com muito agrado e afeto, eles são capazes de tornar-se excelentes companheiros para jovens, a criançada e adultos.

Destaques da espécie

Como todos os cães de caça, Basset hounds conseguem ser rebeldes e difíceis de domesticar dentro de casa. Recomenda-se treinamento com caixas. Se puderem sentir um cheiro intrigante, Basset Hounds são capazes de procurar persegui-lo, não interessa quanto perigo isso possa significar. Em razão disso a sugestão absoluta: ao passear com seu Basset, coloque uma guia nele. Com bastante severidade você não vai poder instruí-lo. Eles são bem irritáveis e independentes. Uma das substanciais alegações pelas quais Basset Hounds são dados pra adoção é por babarem excessivamente. Eles habitualmente fazem bastante sujeira toda vez que vão saciar sua sede, em relação à sua pele do rosto. Caso você não goste de cachorros que realizam bastante sujeira e babam demais, então já sabe: o Basset não é o aconselhado pra você. Basset Hounds muitas vezes possuem gases. Entretanto abusivamente já não é comum. Vá a um veterinário se está ocorrendo com frequência. Uma variação na alimentação é capaz de ajudar. Um inimigo legítimo para o seu Basset é o excesso de gordura. Vigie sempre sua nutrição, pois sempre que tiver ração nas suas tigelas eles irão ingeri-la. Então já sabe: se alimentar além da conta, complicações nas costas e nas pernas irão despontar, não duvide disso. Para se alimentar um Basset não obedeça a orientação dos sacos de rações, embora sim, o porte e o peso do seu pet. Preferivelmente consulte um especialista. Dê alimentos a eles duas ou três vezes diariamente com o intuito de se prevenir todo tipo de problema futuro. E não consinta que seu Basset Hound faça exercícios físicos com muita força após comer. Lembre-se de analisar o cachorro da espécie Basset Hound por volta de 60 min no momento após a alimentação com o objetivo de se certificar de que ele está bem. As orelhas compridas do Basset Hound necessitam ser higienizadas por semana com finalidade de evitar inflamações nos ouvidos. É muito importante limpar as extremidades das orelhas do Basset Hound com mais constância porque, por serem compridas, as orelhas são capazes de arrastar pelo solo, por poças de água, ficando bem sujas. Embora o seu Basset Hound seja resistente e incrivelmente ágil, apesar de ter pernas tão pequenas, é preferível não incentivá-lo a saltar, por exemplo, de um veículo. Observando que seu cachorro vai saltar, pegue-o e apoie as suas costas com bastante carinho e, então, ponha-o no chão. À medida que amadurecem, os filhotinhos de Bassets têm a propensão de obter certos distúrbios. Evite deixar um filhotinho desta raça exagerar à medida que brinca e desestimule o pequeno Basset Hound a saltar de cima de mobílias. O Basset não sabe nadar muito bem, justamente pelo peso que possui em sua constituição física, mais de cinquenta por cento está na parte posterior do seu corpinho. Se houver determinada piscina no seu lar, o cuidado deve ser redobrado, porque, se o seu Basset pular em uma piscina, ele é capaz de se afogar facilmente. Para comprar um cão sadio, jamais escolha um filhote de um criador negligente ou em uma loja de cachorros sem procedência. Busque por um criadouro estimado que teste seus cachorros reprodutores a fim de se atestar que os cachorros estão livres de disfunções genéticas que consigam ser transmitidas para os filhotes.

História do Basset Hound

De proveniência francesa, Basset Hounds possivelmente são provenientes do St. Hubert Hound, o antepassado do atual Bloodhound, e nasceram no momento em que uma transmutação na estirpe de St. Hubert produziu um cachorro de patas curtas ou nanico. Não obstante sua origem remontar ao objetivo de caça, devido ao seu físico e suas pequenas pernas, o Basset é capaz de ter sido utilizado primeiramente como mera diversão. Foi no livro ilustrado a respeito de cachorros de caças, “La Venerie”, em 1585 que tivemos o primeiro registro do Basset Hound. Os Bassets Hounds são bastante parecidos com os contemporâneos Basset Artésien Normand, bastante solicitados atualmente na França. Os Basset Hounds foram primeiro famosos com a aristocracia na França, todavia depois da Revolução Francesa, eles tornaram-se os cães de caça dos pobres que careciam de um cachorro que fossem capazes de seguir andando, sem possuir acesso a cavalos. Na metade dos anos 1800, o Basset chegou à Grã-Bretanha. O primeiro casal de Bassets Hounds produziu 5 filhotinhos na Grã-Bretanha no ano de 1866. Foi Sir Everett Millais quem importou um Basset Hound da França, no ano de 1874. Em parceria com Lord Onslow e George Krehl, Millais passou a desenvolver a espécie na Grã-Bretanha, possuindo um próprio canil para isso. Pelo seus esforços para obter mídia pra o Basset Hound na Inglaterra, Millais é tido como o “pai da raça” na Grã-Bretanha. Millais mostrou primeiramente um Basset em um espetáculo de cachorros ingleses em 1875. Poucos anos depois, a espécie tornou-se ainda mais conhecida quando Alexandra, a princesa de Gales, manteve Basset Hounds nos canis da Realeza. Em 1882, o Kennel Club na da Grã-Bretanha reconheceu a espécie e, em 1884, formou-se o clube da Inglaterra Basset Hound. O Basset chegou às Américas no período colonial, entretanto não se espalhou justamente nos Estados Unidos até o começo dos anos 1900. A AKC (American Kennel Club) denominou oficialmente a raça no ano de 1916, mesmo que o Basset tenha sido catalogado primeiramente por volta de 1885. Mas, na América, no fim da década de 20, foi que o Basset sofreu uma vasta reviravolta. Em 1928, a revista Time mostrou um Basset Hound em sua primeira página e divulgou uma história acerca do quinquagésimo segundo Westminster Kennel Club Dog Show, no Madison Square Garden, escrita como se fosse vista pelo ponto-de-vista de um cãozinho da raça Basset Hound. O encanto do Basset Hound foi conhecido, e a partir desse período, o Basset Hound passou a expandir sua notoriedade. O Basset Houd se instaurou culturalmente em muito estilo nos anos 60 por sua fisionomia. O Basset Hound é, atualmente, catalogado como o vigésimo oitavo entre as mais de 100 espécies e variedades apontadas pelo AKC, uma prova de sua fama insistente. O modo como seus donos celebrizam sua paixão pela espécie é até complicado de se explicar. Milhões de famílias e de Bassets vão a eventos exclusivos que ocorrem em muitas regiões do planeta.História do Basset Hound

Os Hounds foram originados em uma diversificação da origem de St. Hubert, a qual produziu um cãozinho nanico de pernas muito curtas. Talvez os cães do tipo fossem preservados tal como preciosidades e, mais tarde, originados a fim de capturar no momento em que sua aptidão de seguir coelhos e lebres ocultos sob plantas em florestas espessas foi analisada. A primeira menção notada de um Basset Hound foi em um livro de figurinhas sobre caça, “La Venerie”, escrito por Jacques du Fouilloux, no ano de 1585. Das ilustrações, tem-se a ideia de que os primeiros Basset Hounds da França se pareciam ao contemporâneo Basset Artésien Normand, uma espécie de cachorros hoje popular na França. Os Basset Hounds foram primeiro famosos com a aristocracia na França, mas logo após a Revolução Francesa, eles se tornaram os cães de caça dos plebeus que precisavam de um cachorro que podiam seguir a pé, sem ter acesso aos equinos da época. Na metade do século XIX, o Basset foi para a Grã-Bretanha. Lord Galway introduziu um casal de cães da raça Basset Hound para a Grã-Bretanha no ano de 1866 e eles geraram uma ninhada de 5 crias. Foi Sir Everett Millais quem importou um Basset Hound da França, no período de 1874. Em associação com Lord Onslow e George Krehl, Millais passou a desenvolver a raça na Inglaterra, possuindo um próprio canil pra isso. Millais é reverenciado como o responsável por vulgarizar o Basset na Inglaterra, sendo considerado o “pai do Basset Hound”. Millais mostrou primeiramente um Basset em um show de cães ingleses em 1875. Alguns anos em seguida, a raça ficou também mais conhecida quando Alexandra, a princesa do País de Gales, preservou Basset Hounds nos canis da Realeza. O clube da Inglaterra Basset Hound foi fundado no ano de 1884 na Grã-Bretanha. Embora o Basset Hound tenha entrado na América, provavelmente, nos períodos coloniais, a raça não tornou-se própria nos Estados Unidos até o início do século XX. O American Kennel Club (AKC) começou a registrar Basset Hounds no ano de 1885, sendo o primeiro, um cão intitulado Bouncer, contudo foi em 1916 que o AKC reconheceu de maneira formal a raça. Em 1928 foi um ponto de virada para o Basset Hound nas Américas. Precisamente em 1928, o periódico Time apresentou um Basset Hound em sua capa e publicou uma notícia a cerca do 52° Westminster Kennel Club Dog Show, no Madison Square Garden, escrita como se fosse observada pelo ponto-de-vista de um cachorrinho da espécie Basset Hound. O fascínio do Basset Hound foi revelado, e a partir desse momento, o Basset Hound passou a crescer em popularidade. Devido à sua formosa fisionomia, o Basset foi inserido culturalmente, de modo geral, por volta da década de 1960. O Basset Hound é, atualmente, tido como o vigésimo oitavo em um total de cento e cinquenta e cinco espécies e variedades registradas pelo AKC, uma prova de sua reputação insistente. O estilo como seus proprietários festejam seu encantamento pela raça é muito complexo de se revelar. Espetáculos exclusivos para proprietários de cães da raça são costumes em muitas regiões, dependendo atraindo milhões de Basset Hounds e seus familiares.

Tamanho do Basset Hound

Não é simples elevar espécime maduro da raça Basset Hound, por isto saiba disso ao se ter um pet desta espécie para conviver em uma residência com várias escadas. Você será apto para levar seu Basset Hound para dentro e para fora tranquilamente se ele se encontrar enfermo ou idoso e precisar ser transportado?

Personalidade do Basset Hound

O Basset é intensamente descontraído, também com relação a sua fisionomia frágil. O que realmente retira a sua concentração são os odores que ele capta. Ele preserva-se manso, entretanto alerta o suficiente para que seja um excepcional cão de proteção. Ele é bem desobediente, principalmente se não for perfeitamente educado, ou melhor, quando se utiliza demasiada severidade ou grosseria. A forma melhor de domesticar um Basset Hound é usar recursos positivos e conceder a ele gratificações. Como todos os cães, o Basset Hound necessita de socialização desde bem pequeno – exposição a indivíduos, ruídos e experiências diferentes. A sociabilização ajudará a certificar que seu filhotinho Basset Hound desenvolva-se para ser um cachorro harmonizado.

Saúde do Basset Hound

Basset Hounds na maioria das vezes são sadios, mas, como todas as espécies, são predispostos a determinados problemas de saúde. Não são todos os Basset Hounds manifestarão as doenças normais à espécie, todavia é extremamente importante ter ciência delas se você deseja ser proprietário desse cachorro. Para se obter um filhote, requeira ao comerciante que lhe oferte as autorizações de saúde dos pais dos filhotinhos que irão ser adquiridos. Essas permissões vão fazer com que você esteja mais calmo com relação à saúde do seu cãozinho. Dilatação gástrica-volvulus (GDV): ainda chamado de inchaço ou torção gástrica, essa é uma condição que ameaça a vida e que é capaz de afetar cachorros como Basset Hound, especialmente caso eles sejam nutridos com bastante quantidade de alimentos por dia, se comem rapidamente. Muita gente crê que o alimento concedido ao seu cão interfere ainda mais. A dilatação é mais comum entre cachorros mais velhos, porém pode ocorrer em qualquer idade. A dilatação ocorre no momento em que o estômago é distendido por flatulência ou ar e depois torce (torção). A volta do sangue para o coração é impedida, porque o cachorro não consegue regurgitar ou arrotar para se aliviar do excesso de ar no seu aparelho digestivo. O cachorro entra em choque após a pressão dele cair. Sem atenção médica rápida, o cachorro pode falecer. Vomita o tempo todo, baba excessivamente ou tem inchaço na área do abdômen, leve seu cachorro ao médico-veterinário o mais rápido que puder. Ele também é capaz de estar agitado, deprimido, letárgico e fraco, com uma frequência cardíaca rápida. A fim de evitar esse tipo de problema, castre o seu cachorro, pois existe uma crença de que este distúrbio pode ser hereditário. Doença de Von Willebrand: Causa uma hemorragia extraordinariamente grave prolongada e é uma enfermidade genética. Se você suspeita que o seu Basset Hound possui a enfermidade de Von Willebrand, peça ao seu veterinário que faça um exame de sangue e ache as ponderações indispensáveis antes de algum meio cirúrgico. Panosteíte (ainda chamado de Laminação errante ou Transiente): Essa é uma enfermidade indescritível que certas vezes é vista em jovens Basset Hounds. Sem dificuldades por bastante tempo, os bebês conseguem vencer o quadro até os dois anos. Pode ser complexa ou leve a claudicação. Devido a dificuldade dos profissionais da área em encontrar o real problema, diversos veterinários dão vários tipos de diagnósticos: displasia do quadril, displasia no cotovelo, luxação da patela e, também, problemas mais graves. Se dado imprecisamente, o médico-veterinário pode desejar fazer uma operação no seu cão que não é necessária. Peça a um perito em ortopedia para realizar um check-up, pois é essencial antes de se efetuar todo tipo de operação imprópria. Glaucoma: É bem comum encontrar Bassets com Glaucoma, esta que é uma enfermidade bem frequente na espécie. Ela é definida pelo aumento da pressão do olho, suscitando a cegueira. Ao verificar que seu cachorro esfrega um ou os dois olhos constantemente, ou que os olhos deles se apresentam avermelhados, não hesite em levar o seu cachorro a um veterinário para um exame mais detalhado. O glaucoma possui enorme chance de proporcionar prejuízos para a retina e ao nervo óptico em pouquíssimas horas. Alergias: as alergias são normais a cachorros da raça Basset Hound. Vai-se suprimindo alguns alimentos da dieta do cão até que se encontre o real causador do problema. Quando a pele do cão entre em atrito com xampús, pós para pulgas ou os demais produtos químicos pode ser originada uma alergia ao contato. Elas são curadas detectando e retirando a causaDetecta-se a causa e, depois, tira-se totalmente o que estiver fazendo mal ao seu cão. Luxação patelar: Bastante frequente nos cães menores. Quando a patela não se encontra perfeitamente bem alinhada, logo acontece a Luxação Patelar. Isso ocasiona claudicação na perna ou uma caminhada anormal, como um salto. Em via de regra, pode ocorrer a partir do princípio da espécie, todavia a luxação ou o desalinhamento não se ocorra exatamente até muito mais tarde. Doença do disco intervertebral: Os sintomas de um distúrbio nas costas incluem incapacidade de se erguer nas patas traseiras, paralisação e certas vezes perda do controle do intestino e dos rins. É bastante preciso sempre apoiar as costas e a parte da frente do seu Basset Hound ao pegá-lo. Muitas práticas podem ser feitas com o intuito de curar doença, incluindo: operação, o uso de remédios ou o exílio. Em casos menos comuns, até uma cadeira de rodas pode ser usada pra orientar o seu cão a se movimentar. Infecções no ouvido: Cuide sempre limpando no interior dos ouvidos do seu Basset Hound toda semana e levando-o pra o veterinário caso o ouvido comece a cheirar mal ou se parecer inflamado. Obesidade: As espécies Basset Hound sofrem com um grave problema: a obesidade. Displasia do quadril: Diversos fatores, incluindo genética, o ambiente e dieta, contribuem para essa deformidade da articulação do quadril. Basset Hounds afetados conseguem ser capazes de levar vidas comuns e saudáveis, todavia muitos podem precisar de cirurgia com o intuito de se locomoverem tranquilamente. Quando o fêmur não se ajeita perfeitamente com as articulações do quadril ocorre a displasia. Há casos em que o cão não irá revelar qualquer tipo de incômodo com relação à displasia, em outros é provável reparar a dor do espécime nas quatro patas ou em apenas uma. Só com o raio-X somos capazes de identificar qualquer tipo de anormalidade em cachorros mais idosos. Os cachorros com displasia na anca não devem se proliferar. Caso você esteja adquirindo um cãozinho, solicite ao tratador que ateste que os pais foram examinados com relação à displasia do quadril e estão livres do problema. A displasia na anca é genética, todavia ainda é capaz de ser ocasionada por fatores ecossistêmicos, bem como o crescimento ligeiro, uma dieta de alta caloria ou ferimentos sofridos por pular ou cair em pisos lisos.

Cuidados com o Basset Hound

Esses cães não devem viver ao ar livre em situações extremas seja calor ou seja frio. Os cães dessa raça ficam ociosos dentro de casa, radiantes por deitar ao sol durante todo o dia, porém eles irão gostar verdadeiramente de uma longa caminhada, com vários odores para serem percebidos.

Alimentação do Basset Hound

Porção diária recomendada: 1, 5 a 2, 5 xícaras de ração de alta qualidade diariamente, dividida em 2 refeições. Muitos aspectos interferem na escala de alimento que seu espécime ingere: o seu porte, o metabolismo, o período de exercícios físicos e sua idade. A quantidade de comida difere para os cães, tal como difere para os indivíduos. É praticamente improvável afirmar que um cachorro extremamente astuto precisará de mais ração que um cão que está sempre deitado. Fique atento na alimentação: não basta comprar ração menos cara para economizar, sendo que ela não terá os nutrientes fundamentais para o bom desenvolvimento do seu cachorro, porque se ele ingerir uma ração rica em nutrientes, ele não sentirá vontade de comer todo momento. O Basset Hound ama comer e são predispostos a obesidade. Mantenha seu Basset Hound em boa forma medindo sua ração e alimentando seu cachorro 2 vezes ao dia, em vez de deixar comida disponível todo o dia.

Coloração do pelo e limpeza

Os Basset Hounds têm pelagem lisa e curta que repelem a sujeira e a água. Seu pelo é muito denso para proteger o cão em qualquer tipo de temperatura. O Basset tem uma feição “enrugada” devido a sua pelagem elástica e solta. Embora raramente observado, estes cachorros possuem uma pelagem amarelada e esbranquiçada. Por causa de distúrbios nos seus genes, ainda há na coloração cinza, porém, devido a isso, não é recomendado que isso ocorra. A não ser pelos cuidados com a higiene do ouvido e das rugas do rosto e com as salivações que o Basset Hound vai deixando pelos cantos, este cão é fácil de tomar conta. Os seus pelos pequenos afastam a impureza e a água. Muito raramente você vai desperdiçar tempo dando banho em seu Basset Hound, a não ser que ele tenha se embrenhado em uma sujeira. Escove a pelagem do seu Basset uma vez por semana e vai ver que não vai ter nenhum tipo de incômodo com toda sua pelagem. As orelhas ficam bastante imundas por causa dos Bassets as arrastarem ao longo do chão. As infecções de ouvidos também são um grande problema, porque o ar não circula corretamente no ouvido interior. Limpe o ouvido dos Bassets ao menos toda semana, com o intuito de evitar quaisquer distúrbios vindouros. Higienize o lado de fora das orelhas para remover qualquer sujeira, limpe as rugas do rosto com uma flanela umedecida e desça-as completamente, e veja suas patas para olhar se existem feridas no meio dos dedos das patas. Evite o hálito ruim e a gengivite escovando os dentes do seu cachorro periodicamente. Uma vez a cada quinze dias apare as unhas do seu Basset. Caso você possa ouvir as garras estalarem no solo é porque se encontram bastante longas. Se você não ama sempre que o seu cachorro pula em cima de você e te arranha, então é melhor cortar sempre as unhas dele para evitar esse inconveniente, sem contar que é muito saudável para o seu cachorrinho. Desde filhotinho, faça com que seu Basset se habitue a ser analisado pelo veterinário e também comece a penteá-lo. Manipule as patas dele com frequência e olhe dentro da boca e das orelhas do seu pet o máximo que der. Faça desse momento uma experiência positiva, cheia de elogios e agrados e você estará preparando o cachorro para exames clínicos simples e pra outras situações quando for adulto.

Crianças e outros animais domésticos

Basset Hounds gostam de crianças e se dão bem com qualquer criança. Contudo jamais deixe que uma criança monte em seu cachorrinho, porque sua coluna é afetada tranquilamente, e, especialmente, que elas nunca os aflijam. Nunca deixe de observar seu cão no momento em que ver alguma criança por perto, porque as crianças são capazes de puxar a cauda ou a orelha, fazendo com que este cão fique irritado e contra-ataque com uma mordida. Eduque seu filho a nunca chegar bem perto de todo tipo de cão enquanto ele estiver comendo e a jamais tentar retirar a comida do cachorro. Inclusive com gatos o Basset consegue se sociabilizar, especialmente quando forem filhotes.

Filhotes Samoieda

filhotes samoieda

As sociedades nômades empregaram essa espécie samoieda faz mais ou menos cinco mil anos, na região da Sibéria, apesar de haver outras explicações a respeito da procedência da espécie Samoiedo. Segundo os registros, esta espécie só podia ser vista em meio a estas tribos, acarretando, dessa forma, a sua denominação. Estes cães eram usados em atividades no campo, para caçar e inclusive para usá-los nos trenós.
Os primeiros espécimes da raça Samoiedo apareceram na Inglaterra entre os anos de 1870 a 1909, embora nem todos cães eram de raça autêntica. Garante-se que esta espécie se popularizou na Inglaterra, por causa da Soberana Alexandra, que adorou o Samoiedo e fez de tudo a fim de que ele fosse renomado em sua nação. Fato é que ainda podem ser vistos descendentes dos cães da monarca nos pedigrees atuais.
Os cachorros Samoiedos chegaram na América no ano de 1906, um espécime foi concedido como presente do Grão-Duque russo Nicolau. Desde a Segunda Grande Guerra a fama deste cão vem aumentando muito a cada dia devido ao seu comportamento manso, sua linda aparência e suas realizações como um cachorro de tração.
filhotes samoieda
Características Físicas do Samoiedo

Seu nariz possui um tamanho médio e uma tonalidade mais escurecida, suas orelhas são de um porte mediano, bastante afastadas uma da outra, seu crânio conta com um formato de cunha e seus olhos bastante fundos; sua pelagem é bastante densa, suas patas são redondas e ele dispõe de um porte bem robusto e cheio de músculos.
A cauda é extremamente bela, possuindo uma pelagem espessa e um molde enrolado sobre o dorso e tomabando para um dos lados. A expressão da face é um dos itens mais marcantes deste cachorro – ele parece estar a todo momento sorrindo!
Seu pelo é vasto, macio, alisado e levemente volumoso. Sua pigmentação habitual é o branco sólido, mas conseguimos percerbê-lo em outros matizes: branco palha, amarelada, amarelado e branco, preto e branco e branco e castanho.

Temperamento do Samoiedo

O Samoiedo é um cão bem carismático que não irá pensar duas vezes para satisfazer o proprietário, toda a família e inclusive os visitantes! Ele possui o costume de seguir o proprietário para todo o lado, e irá querer ainda dormir ao lado. As pessoas mais antigas apreciam esta espécie, porque ela possui uma facilidade em agradá-los e deixá-los mais alegres e, especialmente, sendo uma amizade pelo resto da sua vida.
Ainda que meigo, é imprescindível que o Samoiedo faça atividades físicas constantes pois é um cão acostumado com o serviço pesado. Para você que almeja comprá-lo, saiba que essa raça precisa de um espaço enorme, já que eles não se dão bem estando presos, seja em casas ou apartamentos. Se aborrecidos, eles podem tornar a ser bastante destrutivos, mais desordeiros, mastigadores de móveis e que irão escavar por toda parte que conseguir.
Pela necessidade de deixar o seu proprietário mais feliz, eles serão capazes de ser treinados, embora não pense que vai ser descomplicado: eles são bem rebeldes.
O adequado é que você tenha somente um cachorro dessa espécie, já que esse cães não se dão muito bem com outros cachorros domésticos!

Vantagens em se ter um Samoiedo

Essa espécie é bastante dócil, frágil, meiga e bastante sagaz! O Samoiedo conta com um fascínio fascinante, fascinando todo mundo ao seu redor.
Por causa de sua estima e meiguice, o Samoiedo não vai querer estar longe de seu dono por muitas horas, o que faz com que esta raça bastante admirada por todas as pessoas.
Como essa espécie consegue se dar muito bem com visitantes e hóspedes, você nunca vai ter que ficar esquentando a cabeça em deixá-lo preso! Seu dono ficará contente com a forma como o Samoiedo trata os seus colegas e convidados.
Essa espécie se conserva bastante higiênica por vários dias, mesmo sendo cães essencialmente alvos e muito peludos. Além do mais, não produzem odores característicos de cachorros devido à falta de glândulas subcutâneas. Você vai ter um gasto bem menor com esta raça, especialmente se referindo à higienização!

Pontos fracos do Samoiedo

Samoiedos necessitam de exercícios físicos diariamente, uma vez que são cachorros extremamente ativos e acostumados com trabalho pesado, para se preservarem calmos.
Caso você deseje um cão para ser um cão protetor, nem pense em adquirir um Samoiedo.
Eles são divertidos, entretanto, algumas vezes, vão além do devido, deixando o seu dono bem nervoso, porque eles são bem destrutivos em muitas situações.
O Samoiedo é um cachorro muito dominador, não é indicado ter outros animais domésticos junto do Samoiedo, principalmente felinos! Todavia, se adestrado desde filhote, será capaz de ter um Samoiedo mais paciente com outros cães.
Esse cão vem de pátrias nórdicas de temperaturas geladas e, mesmo se ajustando ao clima quente, não é adequado condicioná-los a condições bastante elevadas.
O Samoiedo possui o costume de largar muito pelo ao longo da casa devido a sua troca de pelagem.
Certos problemas de saúde são usuais a espécie – olhos com cor desconhecida, orelhas caídas, ossatura irregular, joelhos de vaca salientes, sinuosidade na pelagem, propriedades do sexo não definidas, displasia coxofemoral, ensurdecimento, nanismo e atrofia gradativa de retina.

Como cuidar de um Samoiedo

Só adquira um Samoiedo se você possuir bastante energia e energia para tal, vá brincar com ele ou fazer o seu Samoiedo se movimentar bastante, já que este cão necessita de despender sua energia a cada dia, ou melhor, se você for desmotivado não tenha um Samoiedo! Um ótimo adestramento também será essencial a fim de deixar o cachorro mais educado.
E caso você tenha outros animais domésticos, o ensino do Samoiedo é preciso: sem ele você terá um cão bem antissocial, especialmente com outros cães.
O Samoiedo é um cachorro muito teimoso e rebelde, o que o torna muito complicado de pôr limites: ele vai querer ficar dentro de casa e você vai se esforçar para conseguir instruí-lo, então o adestramento deve ser feito o quanto antes! Outra coisa essencial é escovar o pelo do cachorro de duas a três vezes semanais com a finalidade de evitar que pelos fiquem dispersos por toda casa.
Esta raça é exageradamente inteligente e precisa de muito carinho do proprietário, esteja capacitado para dar demasiada atenção e amor a ele.

Filhotes de Samoiedo

Os filhotes desta raça são exatamente “bolinhas peludas” que gostam de mamar e tirar uma soneca! Porém eles se desenvolvem bastante rápido e em torno da 5° e 10° semana de vida já viram exímios “exploradores” do ambiente onde moram. É nesse momento que o criador deve começar a treiná-lo para que as ordens sejam mais normais para o cão. Nesta fase ele se encontra mais afeito, visto que é o período em que ele se afiniza com a raça que pertence e entra em um período de socialização com os humanos. O condicionamento tem que ser mais enfático depois dos três meses, porque nesta fase o Samoiedo se torna mais “dono de si”, portanto sendo mais complicado ensiná-lo. Após 1 ano de vida, este cachorro fica mais perspicaz, deste jeito o seu proprietário deve incluir mais intensidade no seu ensinamento com o intuito de conseguir melhores resultados.
O Samoiedo, quando filhote, é muito divertido, cheio de vigor e bastante vigoroso. Todos os cachorros dessa raça possuem um “sorriso” no seu rosto, com o lábio preto e olho castanho. No que concerne às orelhas, não se preocupe, elas só se elevarão depois dos três meses de existência. A cauda deita por cima de seu dorso após os 2 meses.

Curiosidades acerca do Samoiedo

Ele é tido como o cão nórdico mais obediente já percebido, ele é muito agitado e impaciente, uma vez que ele está a todo momento cavando qualquer coisa, quando está neste nível emotivo.
Na primeira chegada da espécie para o território inglês, nem todos eram genuínos pedigrees nem de coloração branca, alguns eram da cor de canela e um pouco mais baixo que a espécie legítima. A fonte de certos cães originaram-se das tribos nômades.
As primeiras importações oficiais de Samoiedos ocorreram em 1893 e o primeiro clube oficial de tratadores da espécie se efetuou em 1920 e encontra-se em funcionamento ainda nos dias recentes.
Ao longo das tempestades de neve, é comum observarmos Samoiedos empregando a cauda peluda para proteger o focinho.
Eles têm uma curva em seus lábios, que proporciona uma sensação de estarem constantemente “sorrindo”.